O Rei Lagarto e suas trocas de pele

"Se as portas da percepção se descerrassem, cada coisa pareceria ao homem como é, infinita", essas palavras do poeta William Blake, vieram como um som ensurdecedor nos ouvidos de James Douglas Morrison. O sagitariano percebeu que seus sonhos de liberdade poderiam ganhar forma através das palavras.

Um poeta totalmente diferenciado, tentando vencer os próprios demônios que o azucrinavam a cada noite de sono mal dormida. Jim Morrison definitivamente abriu as portas... inovador em sua escrita, sua música, seu próprio teatro e em suas trocas de pele.

O "Rei Lagarto", como costumava se autodenominar, trouxe ao mundo do rock peças importantes desse guarda roupa atemporal; calças de couro bem apertadas, jaquetas estilizadas com um toque da década passada (no mais estilo Elvis e o selvagem Marlon Brando), casacos de pele que só o aproximavam mais de sua essência animal, botas de couro inesquecíveis e imponentes, e é claro, óculos escuros no estilo aviador, para provar e comprovar que se tratava de um Rockstar, esse tal de Jim Morrison.

De natureza mística, o filho do orixá Xangô, explanou as injustiças do "mundo perfeito" ao qual todos acreditavam pertencer e dominar. Tentando até o fim encontrar seu lugar no mundo, seja nos braços de Pamela Courson, ou nos palcos espalhados pelo mundo. O viajante na tempestade mostrou que o fim não está tão próximo assim, pois sua esperança de um lugar melhor permaneceu intacta e parou nos olhos do menino de Melbourne; onde ele nos convidava com sensualidade ímpar: "Vem meu bem, corre o risco conosco”. Confira "Break On Through (To The Other Side)":

Search By Tags
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now