SPFW N44 - Lenny Niemeyer


Lenny buscou espiritualidade e em o que ela poderia contribuir com a arte. Encontrou o futuro é tomou o espírito do momento, onde a busca por um sentido na vida ganha importância.

A geometria ganha poder a cada peça vista. Por trás delas exitem duas artistas místicas suecas Emma Kucz e Hilma Af Klint, que viveram no final do século XIX. Elas tem total sentido para a coleção. A assimetria e detalhes desconhecidos por qualquer um. A explicação para a inspiração seria "forças maiores" Lenny teve dificuldade para encontrar mais informações sobre as mulheres, que eram desconhecidas e não deixaram muitas pistas de suas obras. Seguindo pistas e priorizando pesquisas, trabalho teve grande resultado emocionante.

No final do desfile, uma homenagem às artistas, que sem saberem, tiveram seus trabalhos reconhecidos para onde um dia tiveram incompreensão.

Maiôs, em alta costura com rolôtes, fios lycra costurados um a um no corpo das modelos que representam os traços das artistas. As botas mude tiveram significado e homenagem também à Santa Lolla. Capas e vestidos estavam presentes, claro com as estampas geométricas.

Search By Tags